AR E SERES VIVOS

 

 

RELAÇÃO ENTRE AR E VIDA

 Os organismos vivos não só dependem do ar para sobreviver, mas também afetam profundamente a própria composição da atmosfera. Na realidade, como veremos nos capítulos seguintes, existe um intercâmbio constante entre os organismos vivos e o ar atmosférico.
Há três categorias de processos que os seres vivos realizam e que estão relacionados ao ar atmosférico:
A respiração, feita por praticamente todos os seres vivos.
A fotossíntese, realizada pelos organismos dotados de clorofila, como as algas microscópicas e as plantas terrestres e aquáticas.
A utilização do nitrogênio atmosférico, feita por alguns microrganismos.
Neste capítulo, daremos a você uma noção dos três processos. No próximo capítulo, você vai aprender como esses processos interagem com a atmosfera, de maneira a manter a composição do ar equilibrada e constante.

 

RESPIRAR OU MORRER

 
Animais e vegetais respiram. Nós, seres humanos, não sobreviveríamos mais de alguns minutos, caso o ar parasse de entrar em nossos pulmões. Por esse motivo, mergulhadores e astronautas precisam levar nas costas um reservatório com oxigênio, que lhes permite continuar respirando.
Na respiração, ocorre uma troca de gases entre o organismo e o ambiente. Sabemos que os seres vivos, quando respiram, consomem oxigênio e devolvem gás carbônico ao ambiente.

 

A RESPIRAÇÃO PRODUZ GÁS CARBÔNICO

 

Arranje um pouco de água de cal e coloque-a num copo. Com um canudo de refrigerante, sopre várias vezes dentro do líquido. Depois disso, observe a cor da água de cal. O que aconteceu?
 
 
A água de cal torna-se rapidamente leitosa. Isso mostra que há gás carbônico no ar que sai de nossos pulmões.
Use agora outro copo de água de cal. Com uma seringa, recolha ar e borbulhe-o várias vezes dentro do liquido. Você observa alguma mudança na água de cal?
Dessa vez, a água de cal só ficará turva se você borbulhar o ar da seringa durante muito tempo. Isso ocorre porque há pouco gás carbônico no ar atmosférico (apenas três partes em cada 10 mil). Já a porcentagem de gás carbônico no ar que sai de nossos pulmões é alta. E por isso que, na primeira experiência, a água de cal turvou-se rapidamente.

 

A QUEIMA DA VELA E A RESPIRAÇÃO

 

A queima de uma vela, como você se recorda, consome oxigênio e produz gás carbônico. Nosso corpo, ao respirar, também consome oxigênio e produz gás carbônico. Será que a respiração tem algo a ver com a queima de uma vela?
 
 
Veja esta outra semelhança. A queima de uma vela produz calor. Nosso corpo, também. E fácil verificar isso. O menino da figura mediu sua temperatura com um termômetro: ela era de 36,5 00. Ao mesmo tempo, um termômetro de parede indicava a temperatura do ar, que era de 25°C.
O corpo do menino está mais quente do que o ar. Isso indica que ele produz calor.

 

A RESPIRAÇÃO É UMA COMBUSTÃO?

 

Podemos concluir que há varias semelhanças entre a respiração e a combustão. Ambas consomem oxigênio; ambas produzem gás carbônico. Além disso, há produção de calor nos dois processos.
A respiração é, na realidade, um tipo de combustão lenta que acontece no interior de nosso corpo.
Também nessa combustão o oxigênio é o comburente; o alimento que absorvemos todo dia é o combustível. Além do calor, a respiração libera outros tipos de energia, que permitem toda a atividade que o organismo realiza.

 

Os combustíveis do corpo

 

Alguns alimentos, principalmente os açúcares, são excelentes combustíveis para a respiração e, portanto, bons fornecedores de energia. Além do açúcar comum (açúcar de cana), que usamos para adoçar os alimentos, existem açúcares no mel, na rapadura e em todas as frutas que comemos. Alimentos como pão, arroz, macarrão e batatas também fornecem bastante energia depois de “queimados” na respiração.

 

Os órgãos que absorvem oxigênio

 

Os animais têm várias formas de retirar oxigênio do meio em que vivem. No homem e em muitos outros animais terrestres, os movimentos do tórax* fazem com que o ar entre nos pulmões, órgãos que apresentam grande superfície interna e que absorvem o oxigênio de forma eficiente. Em seguida, o oxigênio passa para o sangue, que o distribui para o resto do corpo. Note que o nitrogênio que está no ar, apesar de também entrar nos pulmões, não é utilizado pelo corpo.
 
 
Em outros animais, como a minhoca, o oxigênio entra pela pele, que é muito fina e permeável*. Da pele, ele vai diretamente para o sangue. O sapo, além de respirar pelos pulmões, absorve oxigênio pela pele, que também é fina.
 
 
Todos os organismos aquáticos, ao respirar, retiram o oxigênio que está dissolvido na água. Para essa finalidade, eles muitas vezes utilizam órgãos chamados brânquias. As brânquias são lâminas avermelhadas que existem na cabeça dos peixes, debaixo de uma “tampinha”. No mercado, as donas de casa costumam levantar essa “tampinha” para ver se as brânquias estão bem vermelhas, sinal de que o peixe está fresco.
Os vegetais, sejam terrestres ou aquáticos, também respiram. Afinal, também eles têm necessidade de energia para viver. Não há, nos vegetais, órgãos visíveis a olho nu para a absorção de gases. Neles, as trocas de gases ocorrem através de poros microscópicos, situados nas folhas.
 
 
Pulmões do homem, brânquias do peixe, pele da minhoca e poros dos vegetais: todos esses órgãos, além de absorverem oxigênio, devolvem gás carbônico ao ambiente.

 

A FOTOSSÍNTESE

 

Além de respirarem exatamente como os animais, as plantas também realizam outro processo fundamental na natureza chamado fotossíntese. Nesse processo, que ocorre somente em presença da luz, a planta absorve o gás carbônico do ar, que ela utiliza, e devolve o oxigênio, que ela fabrica no processo. Através da fotossíntese, a planta produz alimentos diversos, como os açúcares.
Repare que, quanto à troca de gases, a fotossíntese é o processo inverso da respiração.
Plantas: fábricas de alimento
 
 
Através da fotossíntese, feita principalmente nas folhas verdes, a planta fabrica seu próprio alimento. Esse alimento é em seguida “queimado” através da respiração para produzir energia.

 

UTILIZANDO O NITROGÊNIO DO AR

 

 
O nitrogênio do ar não é utilizado nem na respiração nem na fotossíntese. Ele tem, no entanto, um papel importantíssimo para os seres vivos. Bactérias especiais, que vivem no solo ou associadas às raízes de certas plantas, como o feijão, transformam o nitrogênio do ar em nitratos e outras substâncias. Esse processo recebe o nome de fixação do nitrogênio.
As plantas absorvem os nitratos pelas raízes e os utilizam para a fabricação de moléculas especiais chamadas proteínas.
 
 
 
 
 
 
 
*Tórax: região do corpo onde ficam o coração e os pulmões.
*Permeável: que deixa passar.
 
 
 

Referência: BEDAQUE, C. S.- Ciências: "Entendendo a natureza: o mundo em que vivemos".

 

Enquete

Qual recurso você mais utiliza para estudar?
 

Veja Também...

Banner